Organizações de referência

A Psicologia Comunitária em Portugal: Organizações de referência

A Psicologia Comunitária tem servido de inspiração e orientação a profissionais na criação de serviços comunitários de resposta a necessidades específicas. A aplicação dos princípios desta disciplina tem contribuído para o desenvolvimento de respostas inovadoras, integradas e eficazes em diversas áreas, desde a integração psicossocial de pessoas com experiência de doença mental às questões da actuação junto de mulheres sobreviventes de violência interpessoal e ao desenvolvimento de programas de prevenção dos abusos sexuais de crianças. Seguem três exemplos de organizações comunitárias nacionais cujo trabalho, inspirado e desenvolvido à luz dos princípios da Psicologia Comunitária, têm contribuído para o aperfeiçoamento das respostas a cada uma das áreas e para a promoção da mudança social em Portugal.

aeipsA Associação para o Estudo e Integração psicossocial (AEIPS) é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) que, desde a sua fundação em 1987, tem procurado ser pioneira e inovar na criação de programas comunitários para adultos com doença mental e contribuir para a mudança comunitária no que se refere às oportunidades proporcionadas às pessoas com doença mental e seus familiares. Ao longo dos anos, a concretização do trabalho da Associação passou sempre pela ligação à sociedade civil com o objectivo de reduzir o estigma da doença mental. Assim, tendo como missão promover o recovery e a integração social das pessoas com doença mental através de processos do empowerment e da participação social, é um dos seus objectivos promover estudos e iniciativas no sentido da integração psicossocial de pessoas com doença mental. Por recovery entende-se o “processo a partir do qual, as pessoas com doença mental poderão compreender o desafio da vivência da doença mental, tornando-se participantes activos, isto é, os principais autores e actores do seu processo de reabilitação” (Patricia Deegan, 1999).

Website: www.aeips.pt

E-mail: geral@aeips.pt

amcvA Associação de Mulheres Contra a Violência (AMCV) é uma organização não governamental (ONG), independente, laica e sem fins lucrativos, cuja missão actual é questionar e desafiar as atitudes, crenças e padrões culturais que perpetuam e legitimam a violência contra as Mulheres, Crianças e Jovens. O seu modelo de intervenção baseia-se numa perspectiva educacional e de empowerment das mulheres. A AMCV reconhece que as mulheres podem ser agentes de mudança das suas próprias vidas. Assim, o conhecimento dos direitos que lhes são consagrados na Lei e os meios de defesa dos mesmos estão na base de toda a actuação da AMCV. Os seus princípios de intervenção passam por reconhecer e valorizar as experiências das Mulheres; respeitar a sua perspectiva e tomada de decisões; reconhecer e apoiar o direito à informação de forma a aumentar o poder de escolha e de decisão; reconhecer o direito à confidencialidade e a uma intervenção que garanta a sua segurança. Os seus objectivos são informar, sensibilizar e consciencializar a sociedade para as questões da violência contra as mulheres, crianças e jovens; formar profissionais na área da violência contra as mulheres e crianças; desenvolver acções junto dos órgãos de poder no sentido de aumentar a defesa dos direitos; desenvolver parcerias locais, nacionais e internacionais; identificar as necessidades das mulheres, crianças e jovens em situações de violência e fazer a defesa (advocacy) dos seus direitos; disponibilizar apoio e disponibilizar refúgio temporário para mulheres, crianças e jovens em risco.

Website: www.amcv.org.pt

E-mail: sede@amcv.org.pt

appeaA APPEPASC – Associação Portuguesa para o Estudo e Prevenção dos Abusos Sexuais de Crianças, surgiu com o intuito de promover projectos de prevenção e investigação em Portugal na área dos abusos sexuais de crianças (ASC), por considerar que é um tema em que devem surgir mudanças que possibilitem que todas as crianças se sintam seguras, fortes e livres ao longo do seu desenvolvimento e no seu dia-a-dia. A APPEPASC implementa o programa CAP (Child Abuse Prevention) em contexto escolar, com base na convicção de que “Prevenir Resulta”. Assim sendo, promove workshops para a comunidade educativa (pais, professores e auxiliares) e para as crianças entre os 6 e os 12 anos (1.º e 2.º ciclo), que pretendem dotar os profissionais de informação sobre o abuso de crianças e a sua prevenção e desenvolve estudos de investigação com o objectivo de aferir os conhecimentos dos pais, professores e crianças em relação aos programas de prevenção do abuso sexual de crianças em idade escolar. A associação considera que, sendo os pais e os professores os principais intervenientes no processo educativo das crianças, importa dotá-los de ferramentas que lhes permitam sentir-se seguros e competentes para prevenir o abuso.

Website: www.appepasc.pt

E-mail: appepasc@gmail.com

APEDC

A Associação Portuguesa para o Estudo e Desenvolvimento Comunitário foi criada em 2005 com o objectivo de promover estudos, projectos e consultoria na área do desenvolvimento comunitário. É uma organização de investigação e de suporte ao crescimento das organizações e instituições para o desenvolvimento da saúde, equidade económica e justiça social das comunidades onde se inserem. Pretende ainda facilitar o intercâmbio de experiências, conhecimentos e estudos na área da avaliação de projectos, programas e políticas sociais.

Website: http://www.apedc.com

E-mail: geral@apedc.pt



A Psicologia Comunitária Internacional: Organizações de referência

scraA SCRA é a 27ª divisão da American Psychological Association (APA). É uma organização internacional que se dedica ao progresso teórico, investigação-acção no contexto social. Os seus membros têm a missão de promover saúde e empowerment e prevenir problemas nas comunidades, grupos e indivíduos.

Website:  http://www.scra27.org

ecpaA Associação Europeia de Psicologia Comunitária, criada em 2005, tem como principal propósito o apoio ao desenvolvimento da Psicologia Comunitária, tanto como disciplina académica, como nas suas aplicações práticas dentro e para além do contexto europeu. Os interesses centrais desta associação são a promoção da saúde, do desenvolvimento humano e da justiça social. Procura também promover a mudança social orientada para a sustentabilidade do bem-estar humano.

Website:  http://www.ecpa.pt

apsA secção de Psicologia Comunitária da APS procura defender a necessidade de os psicólogos comunitários terem uma formação específica e adquirirem a experiência que lhes permita uma melhoria na compreensão e no apoio as necessidades das pessoas nas comunidades. Enfatiza as forças e competências dos membros da comunidade e não dos seus problemas. Valoriza as diferenças humanas e procura o compromisso com princípios como o da flexibilidade, da igualdade e do respeito pela diversidade cultural. Um dos seus principais objectivos é encorajar o desenvolvimento teórico da investigação e prática relevante para a compreensão das pessoas nos seus contextos e sistemas sociais.

Website: http://www.groups.psychology.org.au/ccom/

German Society for Research and Practice in Community Psychology (GGFP)

É objectivo da GGFP a produção e desenvolvimento de acções para a prática, investigação e ensino da Psicologia Comunitária. A GGFP defende que a Psicologia Comunitária tem uma intervenção orientada para a promoção de recursos materiais, sociais e culturais para indivíduos e comunidades, tendo o objectivo de fortalecer competências individuais e colectivas em ligação com os direitos humanos básicos.

Website: http://www.ggfp.de/englisch/index.html

afpcA Associação Francesa de Psicologia Comunitária é constituída por profissionais de saúde mental empenhados em diversos projectos comunitários. Tem como missão apoiar os profissionais de saúde mental e ciências humanas na implementação das acções e investigações para a promoção da saúde mental. Tem como principais objectivos colocar o conhecimento de investigação-acção ao serviço de instituições e estudantes, ser um centro de informação e um organismo de formação. Segue os princípios da Psicologia Comunitária e tem o modelo ecológico como referência, na medida em que pretende compreender o indivíduo no seu ambiente, usando uma perspectiva integradora e participativa.

Website: http://www.psychologie-communautaire.fr/cmsmadesimple/

comunitaria
Equipa de Intervenção Psicossocial e Comunitária do Chile.

Website: http://www.comunitaria.cl/